Baiano, o streamer do Twitch que está revolucionando o cenário de League of Legends no Brasil

Gustavo “Baiano” Gomes está determinado, como ele mesmo diz, a salvar o cenário brasileiro de League of Legends.

Da Bahia para o mundo inteiro

O sucesso de Gomes pode ser raro no Brasil, mas sua história começou de uma forma infelizmente comum no país. Nascido em Bom Jesus da Lapa, cresceu principalmente em locais onde o acesso à internet era um luxo. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a renda média mensal em seu estado, a Bahia, gira em torno de 1.000 reais – o equivalente a 200 dólares americanos. Gomes cresceu em uma família de classe média baixa. Problemas de saúde na família geraram dívidas que causaram muita pressão; os videogames eram seu refúgio dos problemas da vida real.

Transformar uma paixão em uma carreira lucrativa tem sido um desafio. Como jogador profissional de League of Legends no Brasil, onde apoio e investimento eram quase inexistentes no início de 2010, o dinheiro era apenas uma promessa. Embora o Brasil seja um grande mercado em termos de vendas de jogos, não foi fácil convencer seus pais a deixá-lo seguir carreira na indústria de videogames. “Tenho sempre em mente que foi graças aos meus telespectadores que consegui comprar uma casa nova para os meus pais”

Entendendo a cultura para salvar o cenário brasileiro de League of Legends

Já consagrado no streamer, o plano de Gomes é encontrar formatos para novos programas e adaptá-los ao público brasileiro. “Os gênios que aparecem em cada ecossistema são aqueles capazes de adaptar algo à sua comunidade, à sua região”, diz Gomes. A abordagem mais casual e descontraída na criação de conteúdo é o elemento-chave no Brasil. O CBOLÃO reflete esse espírito ao reunir jogadores talentosos em partidas competitivas de alto nível, ao mesmo tempo em que proporciona um espetáculo repleto de memes e piadas.

Para Gomes, a afinidade entre os telespectadores brasileiros e as personalidades do streaming é o segredo para incentivar o engajamento. “No Brasil ou você é campeão mundial ou o público tem que achar você simpático”, diz. Gomes coloca isso em prática em seus próprios streams, onde conta constantemente anedotas de sua vida. Sua trajetória de vida e todas as experiências que viveu o tornam único e ao mesmo tempo acessível, pois os seguidores encontram facilmente pontos de conexão.

O puxar e o empurrar

Apesar do sucesso, Gomes diz que luta para encontrar o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal. Como o sucesso de um streamer geralmente depende de sua imagem pessoal, reservar um tempo para descansar sem prejudicar sua renda mensal pode ser quase impossível. Os problemas de saúde de Gomes – desde ansiedade até complicações contínuas de um tumor – o obrigaram a tirar uma folga, criando o projeto Ilha das Lendas, um coletivo de ex-jogadores profissionais que participam de suas transmissões comentando partidas nacionais e internacionais de LoL.

Ter uma equipe também permite que ele dedique tempo a novas ideias, como a vontade de desenvolver um projeto com conexões internacionais. “Minha ideia não é atrair telespectadores de outros países, mas envolver pessoas influentes desses outros países que possam se conectar com a comunidade brasileira”, afirma Gomes. Ele vê a unificação da comunidade global de League of Legends não apenas como uma meta alcançável, mas também como o futuro que deve acontecer.

Ao falar sobre o que vem por aí, Gomes afirma com entusiasmo que tem muitos projetos em andamento para a comunidade brasileira. Ele diz que eventualmente conseguirá desacelerar as coisas, mas, por enquanto, ele tem muitos planos para se preocupar com isso. “Sempre tenho em mente que foi graças aos meus telespectadores que consegui comprar uma casa nova para os meus pais”, diz ele.

Fonte: www.bing.com